top of page
  • Foto do escritorGrupo Apomedil

Como escolher o veículo e o tipo de ambulância?


O tempo é o grande desafio de quem trabalha com transporte de emergência. É preciso chegar o mais rápido possível ao local da chamada, prestar o atendimento adequado e seguir com rapidez para o local onde o paciente receberá a assistência médica mais completa. Mas você sabe como escolher o veículo ideal para uma ambulância?


Esse é um passo fundamental para o êxito do transporte de emergência, bem como a atenção às transformações necessárias. Por isso, a Mercedes-Benz separou algumas dicas.


Passo a passo para escolher sua ambulância

No Brasil, em geral, as ambulâncias são construídas sobre furgões e chassis cabina. Mas você conhece as possibilidades e sabe o que levar em consideração quando se pensa em escolher uma unidade móvel de socorro?


Em primeiro lugar, é preciso definir o tipo de ambulância com que você quer trabalhar. Pode ser de Simples Remoção, Semi-UTI ou UTI.


Em segundo lugar, escolha um veículo que combina a agilidade necessária no transporte de emergência com a confiabilidade para prestar esse serviço: não apenas pela segurança no resgate ou remoção, mas também pela disponibilidade, afinal, uma ambulância não pode ficar paralisada.


Em seguida, é importante escolher bem uma empresa implementadora. Transformar um furgão ou chassi em ambulância requer conhecimento e experiência especializados. Por isso, pesquise bem e consulte empresas profissionais do setor, a fim de garantir que a conversão seja feita de forma segura e correta, além de respeitar todas as diretrizes.



Como decidir o seu tipo de ambulância

A escolha do modelo de ambulância tem a ver também com o tipo de serviço que o empreendedor pretende oferecer. Veja alguns exemplos:


  • Situações de emergência – Acidentes com veículos, incêndios e desastres naturais, a fim de prestar assistência médica a pessoas feridas.

  • Hospitais – Transporte de pacientes de um hospital a outro para atendimento médico especializado ou de um hospital para residências ou unidade de cuidados.

  • Eventos esportivos – Jogos de futebol, atletismo ou maratonas, por exemplo, disponibilizando assistência médica a atletas ou espectadores que podem se machucar, passar mal ou adoecer.

  • Aeroportos – Assistência médica a passageiros que ficam doentes ou feridos durante um vôo ou nos próprios aeroportos.

  • Áreas remotas – Casos de parques nacionais ou comunidades rurais, para atendimento médico de emergência e transporte para pacientes que não têm acesso a instalações médicas.

  • Remoções domésticas: no dia a dia em casa, quedas ou outras situações demandam a remoção do paciente por meio de profissionais especializados. Além disso, há situações de pacientes em home care ou situações similares que demandam um transporte diferenciado.



Ao escolher sua ambulância, esteja atento a essas recomendações

Na escolha de um veículo para ambulância vários outros fatores devem ser considerados. Confira!


  • Espaço suficiente no interior do veículo para acomodar o paciente, o profissional médico e os equipamentos e suprimentos necessários (como maca, oxigênio, desfibrilador, medicamentos e curativos, entre outros).

  • O veículo deve ter um interior confortável e ergonômico para garantir que o profissional médico preste cuidados ao paciente num ambiente seguro e confortável.

  • Contrate um profissional médico treinado, como um paramédico ou um técnico de emergências médicas (EMT), para cuidar do paciente durante o transporte.

  • O veículo deve ter um motor e uma transmissão confiáveis para garantir o transporte com segurança e rapidez.

  • O veículo deve ter dispositivos de segurança, como airbags, freios antibloqueio e controle de estabilidade e tração, para garantir a segurança do paciente e do profissional médico durante o transporte.

  • O veículo deve ser de fácil limpeza, sanitização e manutenção para garantir que sempre permaneça adequado para uso.

  • Verifique com a agência reguladora local as normas para possuir e operar uma ambulância em sua área de atuação. Isso inclui licenciamento, certificação, seguro e outros requisitos.

  • Certifique-se de que a ambulância esteja equipada com dispositivos de comunicação, como rádios ou telefones celulares, para se comunicar com hospitais e serviços de emergência durante o transporte.



Sprinter é referência em ambulância

Em sua missão diária, o motorista de ambulância enfrenta muitos desafios, como o trânsito carregado e lento, a movimentação de pedestres e ciclistas à frente, condições das vias e do clima, obras e outros obstáculos, até chegar a um hospital ou a outra unidade de saúde.


Nesse contexto desafiador, o veículo comercial leve Mercedes-Benz é um grande aliado dos motoristas. Referência no setor de ambulâncias, ele é ágil, com um motor muito potente e com um trem de força bem ajustado que favorece a Sprinter na hora de enfrentar as diversas situações nas ruas das cidades. Além disso, a tração traseira proporciona excelente desempenho mesmo em ladeiras molhadas, sem falar na redução do custo operacional dos pneus.


Ângulo de ataque e altura elevada em relação ao solo, o que facilita superar obstáculos onde o tempo é crucial para o atendimento.


Como uma ambulância trabalha com a segurança de pessoas, a Sprinter não economiza para atender essa demanda:

  • ABA-Active Brake Assist (Assistente Ativo de Frenagem)

  • Attention Assist (Alerta de Fadiga)

  • HSA-Hill Start Aid (Assistente de Partida em Rampa)

  • ESP Adaptativo 9i® composto por 15 sistemas

  • Crosswind Assist (Assistente de Vento Lateral)

  • DRL – Daytime Running Light (Luzes de Circulação Diurna)

  • Câmera de ré superior com visor no display MBUX

  • Freios a disco nas 4 rodas

  • Airbag duplo

  • Sistema SRS (tensionador do cinto de segurança)

  • Luzes de freio adaptativas

  • Piloto automático com limitador de velocidade

0 comentário

Comments


bottom of page