top of page
  • Foto do escritorGrupo Apomedil

TACÓGRAFO: O QUE É, IMPORTÂNCIA E OBRIGATORIEDADE

O tacógrafo é importante no monitoramento do desempenho do trabalho realizado com caminhões e funciona como um reforço de segurança. De fato, esse tipo de equipamento de registro é obrigatório por lei em algumas situações e indica a velocidade e a distância percorrida pelo veículo em função do tempo decorrido.


A partir disso, os gestores do ramo de transporte de cargas conseguem planejar estratégias melhores a partir dos dados obtidos em relação ao tempo de atuação do motorista, de parada e o quanto permaneceu dirigindo. O controle da jornada também é uma parte eficiente na hora de reduzir custos e identificar, por exemplo, porque multas de trânsito e acidentes ocorreram.


Quer saber mais? Vou te explicar neste texto o que é o tacógrafo, a sua importância e obrigatoriedade. Acompanhe, amigo caminhoneiro!


O que é tacógrafo?

Como eu disse, o tacógrafo faz parte de uma das exigências presentes na legislação brasileira para quem transporta cargas no Brasil. Na prática, trata-se de um equipamento criado pelo alemão Max Maria Von Weber com o objetivo de registrar a velocidade e a distância percorrida por um veículo em relação ao tempo.


Ele também é capaz de indicar outros registros do trajeto, como o deslocamento entre paradas, o tempo de trabalho dos motoristas e a velocidade média do veículo. As informações são coletadas separadamente pelo aparelho instalado no interior do automóvel, o que permite consultas posteriores.


Como o tacógrafo funciona?

Inicialmente chamado de cronotacógrafo, esse dispositivo era usado somente em trens no passado. Atualmente, é uma ferramenta bastante difundida em todo o mundo para controlar e fiscalizar veículos que atuam em diversos tipos de modais. O seu funcionamento acontece por meio de um cabo mecânico atrelado estrategicamente à saída da caixa de câmbio.


No mercado existe também outro modelo do dispositivo, que é o tacógrafo eletrônico. A atuação, de modo geral, é bem parecida com a do mecânico em registro de medidas, porém, o cabo mecânico é substituído por vários sinais de sistemas eletrônicos e, em algumas situações, por um display digital que o torna mais compacto e moderno.


Os dois formatos registram as informações em um disco informativo que deve ser trocado, semanalmente ou diariamente, conforme as características de cada tipo de aparelho. Vale destacar que existe no corpo também um espaço destinado a dados importantes no processo.


Ele inclui o nome do motorista, local e data em que o percurso foi iniciado, identificação do tipo de veículo, o momento de começo e fim da indicação do hodômetro, e o número da portaria em que o modelo foi devidamente aprovado.


Modelos digitais

Já nos modelos digitais de tacógrafo, as informações são registradas em um papel semelhante aos dos cupons fiscais. Entre os principais diferenciais em relação ao mecânico e eletrônico, podemos citar os mecanismos e sensores, e a utilização de uma fita diagrama como as bobinas de papel térmicos que vemos em impressoras fiscais e não fiscais.


Este formato do equipamento facilita muito a leitura das informações pela possibilidade de imprimir um relatório acessível para diferentes tipos de públicos. Outro ponto que deve ser considerado dos modelos digitais envolve a extensão das suas funcionalidades. Aqui, é possível registrar outras atividades do desempenho do caminhão e do motorista. Veja a seguir os principais exemplos:

  • Detalhes de comportamento;

  • Segurança;

  • Manutenção;

  • Segurança;

  • Níveis de consumo;

  • Rotas no mapa;

  • Limite de aceleração;

  • Limite de velocidade;

  • Limite de velocidade na chuva;

  • Frequência do uso do cinto de segurança;

  • Velocidade em excesso na curva;

  • Pontos de interesse na carroceria.

Além disso tudo, o equipamento também apresenta os registros básicos, como os dados do motorista e os dados da viagem percorrida. Com o uso dos tacógrafos digitais ainda é possível dificultar vulnerabilidades de sistema que surgem com frequência no modelo analógico. Isso se aplica em situações nas quais os motoristas ou empresas tentem burlar os registros conduzidos pelo tacógrafo.


Em práticas mal intencionadas, pode acontecer a desconexão do cabo da alimentação do equipamento para que os registros de informações não sejam realizados, a troca dos pneus da tração que gera leituras diferentes e o travamento dos ponteiros de velocidade ou outros leitores em uma posição previamente determinada.


De modo geral, todas as irregularidades relacionadas são feitas com a intenção de driblar a fiscalização. Ou seja, para fugir das medidas punitivas quando existem práticas de direção perigosa durante a realização do transporte de cargas.


Qual a importância do tacógrafo?

Este tipo de equipamento é fundamental para inibir situações de excesso de velocidade porque faz o registro de cada veículo e permite comprovar os limites permitidos são ultrapassados. Além de sua obrigatoriedade legal, o tacógrafo apresenta grande importância em casos de sinistros em acidentes por ajudar na investigação dos fatores que originaram a ocorrência.


O processo de monitoramento faz bastante diferença na redução de riscos nas estradas e traz muito mais segurança aos motoristas que atuam no trânsito. Também é interessante usar as funções do tacógrafo como uma estratégia para que sua equipe fique mais atenta a qualquer tipo de risco.


Como resultado, eles identificam rapidamente quando algo está diferente do esperado e conseguem minimizar os perigos envolvidos. Também permite preservar as cargas com um plano B definido com antecedência e reportar aos superiores com mais agilidade.


Quais os benefícios do tacógrafo?

Por trazer informações detalhadas sobre os registros de desempenho dos caminhões e dos motoristas, o tacógrafo traz muitos benefícios sobre a segurança. Ele revela possíveis falhas que o veículo pode apresentar e gera mais poder analítico aos responsáveis pelo desenvolvimento do planejamento do trabalho nas estradas.


Os dados fornecidos permitem criar processos mais otimizados e implementação de um padrão de qualidade no serviço realizado. A longo prazo, isso reduz custos com situações imprevistas ou que ainda não foram identificadas.


Esse tipo de problema silencioso pode comprometer a operação diante dos clientes e do mercado. Já com os dados registrados pelo sistema do dispositivo, é possível cortá-los antes que comprometam a objetividade da gestão de frota.


Qual a obrigatoriedade do uso do tacógrafo?

É importante destacar que o uso obrigatório do tacógrafo não acontece em todas as situações. Conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o equipamento é exigido legalmente em veículos de transporte escolar, veículos de transporte que tenham mais de 10 lugares de passageiros e que transportam carga com peso bruto total maior do que 4536 kg.


Em função disso, a ausência do tacógrafo nessas condições resulta em multas e sanções ao proprietário do veículo. Sem contar que, além de estar homologado pelo INMETRO, o tacógrafo precisa ser inspecionado, devidamente calibrado e testado minuciosamente para apresentar o certificado de aferição de tacógrafo à Polícia Rodoviária quando necessário.


Agora ficou claro o que é o tacógrafo e sua importância no transporte de cargas. Esse tipo de controle da jornada do motorista é um diferencial e tanto não só em segurança como também na possibilidade de reduzir acidentes e multas.

Com um serviço planejado minuciosamente que monitora as soluções colocadas em prática, os benefícios em qualidade de mão de obra e a eliminação de custos desnecessários surgem em pouco tempo.

0 comentário