top of page
  • Foto do escritorGrupo Apomedil

MOPP: O QUE É MOVIMENTAÇÃO OPERACIONAL DE PRODUTOS PERIGOSOS?

Já ouviu falar em MOPP? É a sigla para Movimentação Operacional de Produtos Perigosos e está diretamente ligada ao universo dos transportes, especialmente quando o assunto são as cargas de risco.


Mas, e aí, o que exatamente significa MOPP e quais são essas tais cargas perigosas? Existem nove categorias de resíduos perigosos, que vão desde substâncias explosivas até materiais radioativos.


Tem alguma dúvida sobre o assunto? Então, vem comigo para desvendar todos os mistérios desse universo tão específico e importante para os donos de transportadoras.


O que é MOPP?

Como comentei no início, MOPP é a sigla para Movimentação Operacional de Produtos Perigosos. Esse termo é muito importante para donos de transportadoras porque tem a ver com as regras e normas que devem seguir ao transportar cargas consideradas perigosas.


Para começar a entender, é necessário ter em mente que nem todas as cargas são iguais. Enquanto algumas são classificadas como perigosas devido à sua composição química, outras são por suas características físicas, por exemplo. Estamos falando de produtos que podem causar danos à saúde das pessoas, ao meio ambiente ou mesmo à propriedade pública e privada se não forem manuseados corretamente.


É aí que entra o MOPP. Essa é a área que estuda, regulamenta e orienta a correta movimentação desses produtos. O MOPP visa garantir que todas as etapas desse processo, desde o armazenamento, passando pelo transporte até o descarte, sejam feitas de maneira segura e eficaz.


Portanto, ao falar de MOPP, estamos falando de segurança, eficiência e, acima de tudo, de responsabilidade.


Quais são as cargas perigosas que existem?

As cargas perigosas são classificadas em nove categorias. Cada uma delas representa um tipo específico de risco e, por isso, exige cuidados especiais e particulares. São elas:

  • Substâncias e artigos explosivos — isso inclui tudo que possa causar explosões, desde fogos de artifício a dinamites;

  • Gases — esse grupo engloba gases inflamáveis e não inflamáveis e gases tóxicos. Exemplos comuns são o propano e o cloro;

  • Líquidos inflamáveis — como o próprio nome indica, são líquidos que podem pegar fogo, como gasolina ou álcool;

  • Sólidos inflamáveis — são sólidos que podem incendiar-se facilmente, como o fósforo;

  • Substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos — essas substâncias podem não ser inflamáveis por si mesmas, mas podem contribuir para a combustão de outras substâncias, como o peróxido de hidrogênio;

  • Substâncias tóxicas e infecciosas — aqui temos substâncias que podem causar danos à saúde ou até mesmo serem fatais se inaladas, ingeridas ou entrarem em contato com a pele. Pesticidas e vírus perigosos são alguns exemplos dessa classe;

  • Materiais radioativos — essa categoria inclui qualquer substância que emita radiação, como os resíduos de usinas nucleares;

  • Substâncias corrosivas — são aquelas que podem causar danos se entrarem em contato com a pele ou os olhos, ou danificar mercadorias e veículos de transporte, como ácidos e bases fortes;

  • Substâncias e artigos perigosos diversos — essa categoria abrange substâncias que não se encaixam nas outras classificações, mas ainda representam um risco durante o transporte, como o amianto, que pode levar ao desenvolvimento de doenças como o câncer.

Por isso, é crucial que as transportadoras tenham um bom entendimento dessas categorias e das regras de MOPP, para garantir que essas cargas sejam transportadas de forma segura e eficaz.


Qual a classificação dos resíduos perigosos?

Os resíduos perigosos são classificados de acordo com a NBR 10.004, norma técnica da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) que estabelece critérios para a classificação dos resíduos sólidos. Essa classificação divide os resíduos em duas grandes categorias: Classe I (perigosos) e Classe II (não perigosos).


A Classe I abrange os resíduos que apresentam algum tipo de periculosidade, como inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade. Esses resíduos representam risco significativo à saúde pública ou ao meio ambiente, por suas características físicas, químicas ou infecciosas.


A Classe II é subdividida em Classe IIA (não inertes) e Classe IIB (inertes). Os resíduos Classe IIA são aqueles que não apresentam periculosidade, mas suas características podem variar ao longo do tempo, em condições favoráveis de umidade, temperatura, presença de microrganismos, entre outros.


Já os resíduos Classe IIB são aqueles que, mesmo em contato dinâmico e estático com água destilada ou ionizada à temperatura ambiente, não são dissolvidos a concentrações que excedem os padrões de potabilidade de água. Porém, esses resíduos podem passar por alterações que envolvem variações de aspecto, turbidez, cor, dureza e sabor.


Como é o transporte de resíduos perigosos?

O transporte de resíduos perigosos é um processo que exige muita responsabilidade e conhecimento e que deve ser realizado de acordo com regras muito específicas, para garantir a segurança de todos os envolvidos e minimizar os riscos ao meio ambiente.


Primeiro, é preciso entender que o veículo utilizado para o transporte desses resíduos deve ser apropriado para o tipo de material que está sendo transportado. Existem veículos específicos para transporte de produtos inflamáveis, tóxicos, corrosivos, entre outros. Todos eles devem atender a padrões rigorosos de segurança e serem devidamente inspecionados e aprovados por órgãos regulatórios.


A equipe envolvida no transporte também precisa ser qualificada e treinada. Ela deve conhecer as características dos resíduos que está transportando, saber como manuseá-los com segurança e estar preparada para lidar com qualquer emergência que possa surgir durante o transporte.


Além disso, os resíduos perigosos devem ser devidamente acondicionados e sinalizados durante o transporte. Isso inclui o uso de embalagens apropriadas e resistentes e a clara identificação dos riscos associados aos resíduos.


É importante lembrar também que o transporte de resíduos perigosos deve ser feito em rotas pré-definidas e autorizadas e que qualquer incidente ocorrido durante o transporte deve ser imediatamente comunicado às autoridades competentes.


Como é o curso de MOPP?

O curso de MOPP é um treinamento obrigatório para motoristas que pretendem transportar cargas perigosas. Ele é focado em segurança, legislação e procedimentos para a movimentação desses produtos.


O conteúdo inclui tópicos como legislação de trânsito, direção defensiva, noções de primeiros socorros e medidas de controle de incêndios. O curso tem uma parte teórica e uma prática e, ao final, o motorista é avaliado para verificar sua aptidão.


A renovação periódica do curso é exigida, mantendo o motorista sempre atualizado com as mais recentes normas e melhores práticas. Para donos de transportadoras, esse curso é um investimento na segurança das cargas e eficiência de suas operações.


Portanto, entender o MOPP é fundamental para a segurança nas estradas. A Movimentação Operacional de Produtos Perigosos requer atenção, conhecimento e compromisso com as normas vigentes. Ao respeitá-las, garantimos uma viagem segura, protegendo a nós mesmos, aos outros e ao meio ambiente.

0 comentário
bottom of page